• ECAPE

Tratamento de sementes - Investimento que garante uma boa produtividade.

Tratamento de sementes

O sucesso da lavoura se passa primeiramente pela escolha de uma semente de boa qualidade e com alto potencial produtivo. Por isso devemos sempre optar por sementes certificadas que passam por rígidos controles de qualidade.

Mas ter somente uma semente de qualidade não basta, devemos fazer de tudo para protegê-la e assegurar que tenha uma germinação e desenvolvimento adequado para poder expressar todo seu potencial produtivo.

No período de germinação, as sementes são muito suscetíveis as condições ambientais como umidade e temperatura e podem ser facilmente atacadas por pragas de solo. Para prevenir isso aplica-se produtos químicos, como fungicidas e inseticidas, nas sementes e, com isso, impedir prejuízo na produtividade.

O tratamento de sementes (TS) consiste na aplicação de defensivos químicos e/ou biológicos às sementes, com objetivo de suprimir, controlar ou afastar fungos, insetos entre outras pragas que acometem sementes, mudas e plantas.

Formas de tratamento


O tratamento das sementes pode ser realizado de duas formas: uma delas é o tratamento na fazenda, onde o produtor faz pouco antes da semeadura. A outra forma é o tratamento direto nas sementeiras, onde o produtor já adquire a semente tratada e pronta para a semeadura.



Outros tipos de tratamento de semente

Você já deve saber sobre os benefícios de inocular sementes de soja antes da semeadura. Então esse é outra forma de tratamento de sementes, que além disso pode contemplar tratamento com micronutrientes em solos com deficiência e também polímero que melhoram a plantabilidade da semente.

Basicamente, o tratamento de sementes é feito com fungicidas e inseticidas. Mas, além desses, outros produtos podem ser utilizados, como:

  • Micronutrientes

  • Inoculantes

  • Agentes de proteção a herbicidas

  • Reguladores de crescimento

  • Revestimentos de sementes

  • Corantes

  • Outros


A semente tratada é usada para o plantio, não podendo ser empregada na alimentação humana ou animal.

Fatores a serem considerados

· Necessidade do tratamento: A primeira coisa que deve ser feita é saber quais pragas e doenças que afetam a lavoura e se há necessidade de fazer um controle preventivo.

· Eficiência do produto: saber a eficiência do produto para sua finalidade é essencial.

· Compatibilidade: se for aplicar mais de um produto na semente, devemos saber se isso não vai alterar a eficiência de ambos.

Benefícios do tratamento de sementes

Os benefícios do tratamento de sementes interferem na produtividade como um todo, do plantio à colheita.

  • Controle de pragas;

  • Protege o potencial genético das variedades;

  • Ajuda no estabelecimento de plantas;

  • Proporciona o estabelecimento do estande de plantas na lavoura;

  • Influencia positivamente na fisiologia da planta, favorecendo um melhor enraizamento, germinação mais uniforme e maior resistência a nematoides);

  • Apresenta baixo custo de investimento;

  • Com tudo ajuda a obter maior produtividade.

“O potencial de perda em rendimento de uma semente não tratada pode variar entre 10 e 40% e está diretamente relacionado às espécies de pragas e doenças, a intensidade da incidência, além da época e condições do clima e solo em que o plantio foi realizado”, afirma Mairson Santana, gerente de Marketing de Tratamento de Sementes e Biotecnologia da BASF.

Principais pragas e doenças que são controladas com o tratamento de sementes

O tratamento de sementes pode impedir disseminação de fungos causadores de doenças para novas áreas de cultivo. Além disso, evitam danos diretos causados por fungos, insetos e nematóides em sementes, raízes e plântulas durante a fase inicial das culturas.

As principais pragas e doenças de soja, milho e algodão que são controladas com essa prática podem ser:

Pragas

  • Lagarta-elasmo (Elasmopalpus lignosellus)

  • Lagarta-do-cartucho (Spodoperta frugiperda)

  • Lagarta-da-soja (Anticarsia gemmatalis)

  • Helicoverpa (Helicoverpa spp)


As lagartas se alimentam do colo da planta, logo após a germinação. Existe também pragas que ficam embaixo do solo e se alimentam de raízes das plantas recém estabelecidas.

As sementes mais tratadas no Brasil são as de milho e de soja, que dominam o mercado nacional com montante superior a 80%. Estima-se que mais de 95% das sementes destas culturas sejam protegidas no Brasil, via TIF ou TOF, em percentuais quase iguais. A tendência indica que futuramente todos os produtores optarão pelo uso de sementes tratadas, dado seu baixo custo ante os benefícios econômicos. Não vale a pena economizar no tratamento da semente, assim como não vale a pena economizar na qualidade da semente. Os ganhos de produtividades resultantes do tratamento de uma boa semente, compensa o investimento realizado.

Fonte: ABRASEM, APPS, EMBRAPA, ISF, MAPA, SAA. Redação BOAS, julho de 2020, BASF, Canal Rural.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo