• ECAPE

Saiba como fazer consórcio de hortícolas em sua horta!

Atualizado: 5 de out.


Pretende começar uma pequena horta ou até mesmo um negócio? Então é importantíssimo se atentar as plantas que irão ser cultivadas e suas relações antagônicas ou sinérgicas, e nós da Ecape além de desenvolver planejamentos de hortas completos, trataremos sobre os cultivos sinérgicos, com intuito de explicar um pouco mais sobre o porquê é importante e quais os benefícios gerados nesse sistema.

Primeiramente, é fundamental entender os conceitos que iremos trabalhar em um sistema de consórcio de hortaliças, começando pelas relações antagônicas, as quais representam desvantagem para alguma das culturas, podendo ser em forma de competição por luz e/ou por nutrientes. Por outro lado, as sinérgicas, como o próprio nome diz, elas se beneficiam estando juntas, isso ocorre das mais variadas formas, por exemplo um horta com pimentas serão encontrados menos insetos, para a cebola menos lesmas, sem contar os benefícios para os sistemas radiculares das plantas, que são os responsáveis por absorver os nutrientes e a água do solo, e assim desenvolver ambas as plantas da melhor maneira sinergicamente possível.

Dessa forma, percebemos que aliar as plantas sinérgicas é muito interessante, entretanto não basta apenas analisar os pontos positivos da planta e inseri-la no cultivo, devemos então nos atentar ao conjunto certo de plantas que podem entre si desenvolver essas qualidades. Por isso, existem algumas formas de sistemas companheiros, um deles mais aplicado em hortas é a seleção de culturas que não competem entre si, ou se competem em poucas questões, um exemplo disso é a cenoura e a alface, que devido a uma grande diferença de sistema radicular propiciam o desenvolvimento mútuo sem a disputa por nutrientes, isso porque as raízes superficiais da alface não entram em contato com as profundas da cenoura.

Outra forma de cultivo sinérgico, mais especializado, é denominado de Push-Pull (atração e repulsão), neste modelo de cultivo agroecológico, são escolhidas geralmente 3 culturas, uma servirá de atrativo, outra de repelente e a terceira a nossa desejada, o modo que esse cultivo aparece é com o repelente junto da cultura principal, expulsando as pragas que então atacam o atrativo, permitindo o desenvolvimento da principal.

Tendo expandido o conhecimento sobre duas formas de plantio sinérgico, falaremos sobre o que é preciso para elaborar um sistema desses, de pequeno ou grande porte. O primeiro passo fundamentalmente é escolher as culturas e analisar as possibilidades climatológicas dos cultivares desejados, sendo viável a implantação, procedemos para o preparo da área e a disposição das plantas, de forma que as características que desejamos exaltar deste método, tenham as melhores condições para aparecer. E que assim, as culturas usufruam da sinergia para se desenvolverem e em alguns casos se protegerem de plantas daninhas e das pragas que atacam as hortas.

Sendo uma Empresa Júnior referência na área, a Ecape Jr. possui amplo conhecimento em sistemas de hortas pela realização de diversos projetos, nos quais foram analisados os custos de implantação, as culturas desejadas, os mercados para essa produção e todo manejo necessário, levamos ao produtor ferramentas e soluções para seus questionamentos, e que certamente trarão o sucesso à sua produção. Entre em contato conosco, é gratuito! Sem dúvida poderemos te ajudar!

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo