• ECAPE

Poda em Pessegueiros

Nós da ECAPE, reunimos um conteúdo para vocês entenderem um pouco mais sobre a importância da poda, hoje especificamente falaremos sobre as que são realizadas em pessegueiros.

.

Tipos de Podas

De um modo geral, a época ideal para a poda começa 15 dias antes da floração, estendendo-se até quando as plantas apresentarem cerca de 25% de flores abertas. Entretanto, a poda pode ser realizada desde a queda das folhas, cerca de um mês antes do início da floração, até uma semana antes da plena floração sem que haja grande mudança na produção.

.

Poda de Formação: Essa poda dará uma altura de tronco e uma “arquitetura” de planta ideal, com ramos adequados para a produção e consequente exploração. Ela é realizada durante os dois primeiros anos de idade da planta. O produtor pode escolher o sistema de condução, hoje, o mais conhecido é a poda em cone ou vaso invertido, o outro é conhecido como forma de “Y”. 

.

Poda verde: Essa poda é praticada durante o período de vegetação, florescimento, frutificação e maturação dos frutos, com finalidade de melhorar a qualidade e manter a forma da copa por meio da supressão de partes da planta. Em árvores novas, podem ser feitos a eliminação de ramos mal posicionados e “ladrões”, ou despontar ramos, estimulando a bifurcação e conduzindo a árvore a forma desejada. Nas plantas em produção, é realizado a supressão de ramos nos quais o crescimento seja dirigido para o interior da copa, fazendo isso, amplia-se a aeração e iluminação no interior da planta, promovendo a frutificação nas camadas inferiores dos ramos e melhorando a coloração da película dos frutos. 

.

Poda de Frutificação: Nessa poda, o objetivo é deixar um número limitado e equilibrado de ramos vegetativos e frutíferos, além de manter a forma da copa ao interferir no crescimento natural de altura do pomar. 

Poda de Renovação: Árvores mal conduzidas, debilitadas ou intensamente atacadas por doenças e/ou pragas podem ser recuperadas por uma poda de renovação. Que é feito logo após a colheita ao eliminar toda a copa da árvore deixando somente os ramos principais com um comprimento de 30 a 50 cm.

Esses procedimentos exigem que o instrumento de poda seja esterilizado e bem afiado, além da utilização de pasta bordalesa após o corte. Isso evita que a árvore sofra posteriormente com doenças e pragas.


Fonte: Embrapa.



5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo