• ECAPE

Figo: curiosidades e características


De aparência e sabor inigualáveis, a figueira é uma árvore muito apreciada no Brasil e por todo mundo pelos seus frutos: o figo. Um broto de tamanho pequeno e de cores variáveis, passando do verde da maturação para um vermelho ou mesmo um roxo na fase adulta, esse fruto é um dos mais procurados do mercado, fazendo seu valor aumentar. Esta é uma das “frutas” favoritas para quem gosta de doces caseiros e compotas. Apesar de ser popularmente conhecido como uma fruta, o figo é, na verdade, uma flor. A explicação é que a figueira não floresce como as demais árvores frutíferas. As flores da figueira são invertidas. Isso quer dizer que essas flores se abrem dentro de um receptáculo em formato de pêra, que amadurece e se transforma no figo propriamente dito. Dentro de cada figo, existem muitas flores que geram apenas um fruto cada – aquela espécie de sementinha que garante a crocância da “flor/fruta”.


Os figos se dividem em quatro grandes grupos: Caprifigo, Smyrna, comum e São Pedro.

  • Caprifigo - É o tipo mais primitivo de figo cultivado, e dele se originaram os demais. Os frutos dessa variedade não são comestíveis, com exceção dos frutos da variedade mammoni, que podem ser aproveitados. As principais variedades são: Ficus pseudo-carica (utilizado para hibridação) e Roending n° 3.

  • Smyrna - Os figos dessa classe só chegam à maturação se polinizados. Sem tal estímulo e formação de sementes, tanto as brebas (frutos que se originam de gemas sobre ramos do ano anterior), como os frutos da produção principal enrugam e caem ao atingir 2 cm de diâmetro. Algumas brebas às vezes conseguem se fixar sem polinização.

  • Comum - Figos do tipo comum podem-se formar partenocarpicamente, dispensando o estímulo da caprificação e da formação de sementes para atingir a maturação, porém, se polinizados, produzem sementes. Esse é cultivado aqui no Brasil.

  • São Pedro - Os frutos desse tipo combinam as características do Smyrna com as do comum. As brebas desenvolvem-se sem o estímulo de polinização, porém os figos da segunda produção não se fixam se não forem polinizados.

No Brasil, as maiores regiões produtoras de figo, segundo o IBGE, concentram - se aqui no Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais, porém há outras regiões também produtoras. A produção, por sua vez, na região Sudeste se dá entre os meses de novembro a abril, e no Sul, de janeiro a abril.

O figo, por se tratar de uma planta que não é originária do Brasil, sua plantação requer uma atenção especial em relação ao solo, ao adubo utilizado, podas e todos os manejos ligados a ele. Isso porque estamos acostumados às árvores daqui e tendemos a acreditar que as frutas necessitam sempre dos mesmos cuidados. Abaixo, falaremos sobre alguns desses cuidados e pontos de atenção (como pragas e doenças) para ter sucesso na sua plantação de figo:


Como fazer mudas de figo - O plantio da figueira é feito principalmente pelo sistema de estaquia, isto é, planta-se diretamente uma parte do galho de uma figueira antiga para gerar uma nova. Essa técnica de jardinagem adianta o processo para se conseguir uma árvore saudável mais rapidamente.

Poda - A figueira é umas das árvores que melhor corresponde a poda, com uma grande brotação. A época recomendada para realizar a poda é no inverno, quando a árvore está em repouso, com crescimento vegetativo paralisado.

Iluminação - Nesse aspecto não há divergências, o figo gosta de sol. Se você colocá-lo em um lugar com pouca ou meia-sombra, verá que ele rapidamente se desenvolverá para áreas de maior luminosidade. Por isso, quando a planta estiver por volta de 1 ano de idade, o ideal é deixá-la em um ambiente bem iluminado. Quanto mais sol, maiores e mais suculentos serão os seus figos.

Temperatura - A figueira se adapta bem a regiões de clima quente (tolera temperaturas de 35ºC a 42ºC), com a vantagem adicional de poder-se produzir frutas durante o ano todo, com a irrigação e a poda condicionando a frutificação. Nas regiões quentes, as safras são maiores e os figos, mais doces. Mas se você mora em um local em que o clima é um pouco mais ameno e deseja plantar para consumo próprio, seu e de sua família, isso não vai importar tanto, será possível mesmo assim plantar uma figueira e ter figos em abundância se você cuidar bem da sua árvore.

Rega- Devido ao clima aqui do Brasil, será necessário regar sua figueira com menos quantidade de água, salvo em períodos do ano em que a umidade cair muito.

Solo - Os solos mais indicados para o plantio da figueira é o areno-argiloso, bem drenados, e com bom teor de matéria orgânica. Quanto ao pH, o ideal é entre 5,6 a 6,8.

Adubos e substratos - Para que sua figueira dê muitos frutos, além dos cuidados mais usuais como rega, a iluminação e o solo, é preciso também investir em um adubo de qualidade, de modo a fornecer os nutrientes que o seu figo necessita para crescer vistoso. Isso ajudará principalmente sua figueira a desenvolver galhos mais longos pelos quais o figo se espalhará.

Pragas e doenças comuns - A figueira é uma árvore mediterrânea que se acostumou ao clima e às pragas daquela região. Portanto, ao ser transportada para o Brasil e conhecendo as pragas daqui, a figueira fica um tanto quanto sem defesas naturais para elas. Assim, é preciso verificar com frequência se não há invasores na sua plantação. No nosso país, os maiores inimigos da figueira são as cochonilhas brancas e as lagartas.


Além disso, para que se tenha total sucesso e aproveitamento de seu figo, devemos também dar uma atenção especial na colheita e pós colheita, que devem ser realizadas com extremo cuidado, a fim de evitar danos físicos aos frutos. Por se tratar de um produto bastante perecível, para o consumo in natura, deve ser colhido quando ainda não estiver totalmente maduro, pois, quando atinge este estádio, torna-se macio e é ferido facilmente, o que possibilita a penetração de fungos e outras pragas e doenças. A ocorrência de rachaduras no ostíolo (pequeno orifício que o figo tem) é outro fator que leva às perdas após a colheita. Estas podem ser profundas e dividir o fruto ao meio. Vários tipos de rachaduras aparentemente estão associados à turgidez do fruto, como resultado da umidade, chuvas e frio. Por isso, a recomendação é que a colheita dos figos ocorra em períodos secos, o que reduz a incidência de rachaduras, e consequentemente evita perdas pós colheita.

E aí, vamos produzir figo na sua residência? Ele pode ser facilmente cultivado em um quintal, basta darmos a ele sua devida atenção, cuidados e manejá-lo corretamente. Nós da ECAPE podemos te ajudar com isso, basta nos chamar!


Referências:

https://brasilescola.uol.com.br/frutas/figo.htm

https://saberhortifruti.com.br/figo/

http://revistadafruta.com.br/noticias-do-pomar/como-plantar-figo-conheca-tudo-sobre-essa-fruta-deliciosa,404651.jhtml

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/o-cultivo-e-o-mercado-do-figo,afaa9e665b182410VgnVCM100000b272010aRCRD

https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/122766/1/infagropecuario-17-n180-p19-21-1994.pdf



70 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo