• ECAPE

CUCURBITACEAS E OS SEUS CUIDADOS PARA A PRODUÇÃO


Considerando a produção de alimentos e de fibras, a família das cucurbitáceas pode ser considerada uma das mais importantes dentre as hortaliças-fruto. As cucurbitáceas apresentam uma distribuição tropical e subtropical e uma grande variabilidade genética, incluindo aproximadamente 120 gêneros e 850 espécies. No Brasil, há aproximadamente 30 gêneros e 200 espécies. Fazem parte dessa família da melancia, melão, pepino, abobrinha, abóbora ou jerimum, moranga e outras. Essas espécies são de extrema importância para a agricultura familiar.

São plantas herbáceas, formada por haste rastejante e frequentemente com gavinhas de sustentação enroladas em espiral, os seus frutos consistem numa casca um tanto resistente, que contem sementes em abundancia, envolvidas em uma polpa. Seu crescimento é rápido e apresenta talos grandes, mas não lenhosos, sendo representadas nos grupos das plantas perenes. Essas plantas podem ser aproveitadas tanto para a alimentação humana, quanto para fins ornamentais ou até mesmo medicinais. As Cucurbitáceas representam 20% da produção total de oleáceas no mundo.

Seu cultivo apresenta grande importância econômica e social no mundo e no Brasil. Muitas espécies são cultivadas (principalmente por pequenos agricultores) em diferentes tipos de ambiente, algumas com baixo custo de produção quando comparado com outras hortaliças. Com o aumento da demanda por alimentos mais saudáveis vem crescendo a cada dia, o consumo de abóboras e suas sementes, por exemplo, tem aumentado gradativamente, pois estudos têm revelado uma grande riqueza em vitaminas, minerais e fibras.

Para as culturas de cucurbitáceas, como qualquer outra, é importante uma boa fertilidade do solo. O primeiro passo para definir a quantidade de adubo que será aplicado é a realização de análise química do solo e, de acordo com os resultados da análise serão determinadas, com auxílio de um profissional, as doses a serem aplicadas para cada nutriente.

A época de plantio está relacionada ao clima do local de cultivo. Em relação aos fatores climáticos, destacam-se a temperatura, umidade e luminosidade, pois os mesmos podem influenciar a produtividade, os estádios fenológicos e até mesmo a qualidade pós-colheita dos frutos. Algumas culturas possuem exigências maiores, como por exemplo a cultura do meloeiro, que é extremamente exigente em temperaturas elevadas, diurnas e noturnas, tanto no ar como no solo, ao longo do seu ciclo de vida. Temperaturas baixas e ocorrência de geadas prejudicam desde a germinação e emergência, desenvolvimento vegetativo até a fase reprodutiva, portanto, a implementação do seu cultivo se dá preferencialmente a partir do mês de setembro, podendo algumas espécies ter sua época de produção exata. A polinização é também de grande importância para a produção, sendo realizada nessa família a entomófila, ou seja, dependente de insetos, especialmente abelhas, e sofre influências de fatores ambientais. Além disso, as cucurbitáceas são muito importantes na rotação de culturas, pois melhoram e reestruturam as características físicas e químicas do solo.

E você, está pensando em começar a produzir alguma espécie da família das cucurbitáceas ou precisa de ajuda para aumentar a produção? Nós da ECAPE podemos te ajudar, dando todo suporte desde o manejo correto do solo para produção, adubação necessária para seu pleno crescimento e desenvolvimento, além do acompanhamento de produção, tudo isso visando a maior rentabilidade e produtividade das cultivares. Entre em contato conosco pelas redes sociais.





  • FONTES

https://www.grupocultivar.com.br/noticias/manejo-correto-na-producao-de-cucurbitaceas; https://www.naturalista.mx/taxa/48620-Cucurbitaceae; https://www.infopedia.pt/$cucurbitaceas; http://books.scielo.org/id/bv3jx/pdf/brandao-9786586383010-05.pdf;

http://books.scielo.org/id/bv3jx/pdf/brandao-9786586383010-05.pdf

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo